sexta-feira, 20 de abril de 2012

Pingo, a revanche

Ninguém passa de um pingo.
Errado!
Por quê?
Há pingos e pingos.
Exemplo?
Pingo de chuva (Filipe) e
Pingo de pinga (Michele).
Mas quem vale mais?
Pingo de pinga.
Pingo de pinga sem pingo de chuva morre a cana.
Hummm.
Ah, e o pingo em latim (Cassiano)?
Só muda a linguagem, o pingo é o mesmo.
Perfeito.
Ninguém passa de um pingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário